Na Trave

Pixels

A se julgar pela premissa de Pixels (EUA, 2015), baseada no curta homônimo do francês Patrick Jean (lançado em 2010), o filme tinha tudo para se tornar o mais novo clássico da cultura pop: invasão alienígena, referências nostálgicas, trama non sense, uma trilha com potencial impactante, e o comando do genial Chris Columbus, diretor dos dois primeiros Harry Potter, dos dois primeiros Esqueceram De Mim, Uma Baba Quase Perfeita, e roteirista de Goonies e Gremlins (sim, se sua infância foi feliz, você deve muito a ele).

Mas por alguns tilts na máquina, as coisas não saem como planejado, e quase que ocorre um game over, e não, não sou daqueles que taca um caminhão de pedras em Adam Sandler, e apesar dele ter sua culpa, o fator determinante pra que as coisas terem falhado não foi basicamente a presença do autor.

O ator e produtor da fita aqui vive Brenner, um nerd que nos idos do verão de 1982 era um fenômeno dos games, conseguindo ser vice-campeão de um torneio mundial de fliperamas, evento que a NASA está filmando para incluir numa capsula a ser enviada no espaço, contendo também outros elementos da cultura 80’s como o início das transmissões da MTV, na esperança de conseguir contato com alguma nação intergaláctica.

Só que trinta e três anos depois, os aliens compreendem a mensagem de maneira errada, decidindo invadir a terra como revide a sua “ameaça de guerra”; e para causar um verdadeiro caos, eles preparam um ataque com criaturas em formas de games clássicos da geração 8 bits, onde numa série de “melhor de três” se eles forem os vencedores transformam nosso planeta em poeira cósmica, caso sejamos nós, seguimos nossas vidas em frente.

Para conter a ameaça, o antigo amigo de Brenner, e agora presidente dos EUA, Cooper (Kevin James), convoca uma equipe de gamers oitentistas, composta pelo maníaco teórico da conspiração Ludlow (Josh Gad), o antigo rival e campeão do torneio de 82 Eddie “Fire Blaster” (Peter Dinklage), e a comandante Coronel Violet (Michelle Monaghan).

Game Time com o Pac-Man!

Game Time com o Pac-Man!

No decorrer das invasões, as sequências de ação são incrivelmente bem feitas, com efeitos que interagem de maneira criativa com o cenário, ritmo certo e jogadas criativas, tendo seu grande destaque o confronto com o lendário Pac-Man.

Todas as referências nostálgicas são feitas de maneira comicamente divertidas, e o desfecho com o inocente Q*Bert tem uma das melhores piadas bizarras/humor negro em anos! E a atuação de Diklage é uma atração a parte.

Porém, tantos aspectos positivos são ofuscados por uma subtrama de texto fraquíssimo e que como dito no início deste post, quase da uma pane geral na máquina e botou tudo a perder.

Adam Sandler é um ator muito bom e carismático, e já conseguiu provar seu valor em ótimas produções como Happy Gilmore- Um Maluco No Golfe, O Paizão, Click, Tratamento de Choque, Golpe Baixo, Eu Os Declaro Marido e Larry, Zohan- Um Agente Bom de Corte e Golpe Baixo; mas aqui o comediante atua numa má vontade tão grande, que seu “Cigano Igor mode on” é impossível de se passar despercebido.

Junte a isso o fato de sua figura nerd soar forçadamente falsa, e a falta de química e o romance forçado com a personagem de Monaghan.

E como grande vilão, temos a quebra de ritmo com piadinhas que não colam, e momentos de pausa desnecessários, além do fato da trilha sonora não apresentar grandes clássicos da época em gravações originais.

No fim fica aquela sensação do torcedor apaixonado que vê seu time perder o título do campeonato por uma bola trave aos 48 do segundo tempo!

Ficha Técnica

Gênero: Aventura

Direção: Chris Columbus

Roteiro: Adam Sandler, Patrick Jean, Tim Herlihy, Timothy Dowling

Elenco: Adam Sandler, Anthony Ippolito, Ashley Benson, Ben Reimer, Brian Cox, Elizabeth Jeanne le Roux, Eryn Young, Fabio Lusvarghi, Howard Pont, Jack Fulton, James Preston Rogers, Jane Krakowski, Jared Riley, Jared Sandler, Josh Gad, Kevin James, Lainie Kazan, Mani Nasry, Mark Whelan, Matthew Alan Taylor, Matthew Lintz, Michael Boisvert, Michelle Monaghan, Peter Dinklage, Rob Archer, Rose Rollins, Sean Bean, Susie McLean

Produção: Adam Sandler, Allen Covert, Chris Columbus, Mark Radcliffe, Michael Barnathan

Fotografia: Amir Mokri

Montador: Hughes Winborne

Trilha Sonora: Henry Jackman

Duração: 105 min.

Ano: 2015

País: Estados Unidos

Cor: Colorido

Distribuidora: Sony Pictures

Estúdio: Columbia Pictures / Happy Madison Productions

Classificação: 10 anos

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s