Redescobrindo o Brasil magistralmente

holy-land-front

Não é preciso muitas audições para sacar que “Angels Cry”, primeiro disco do Angra lançado em 1993, era um trabalho muito acima da média: produção impecável, arranjos de extrema qualidade, solos de guitarra virtuosamente bem executados, bateria poderosa, baixo pulsante, alcances vocais impressionantes, e hinos monumentais como “Carry On”, “Time” e a faixa-título.

Continuar lendo

Blood Sugar Sex Magik: Os 25 Anos Da Consagração Do Red Hot

blood-sugar-sex-magic

Por Renato Gonzaga

24 de setembro de 1991. A data que ficaria marcada com o lançamento de um dos maiores discos de todos os tempos: Blood Sugar Sex Magik. Para muitos fãs, este é o melhor trabalho já lançado pelo Red Hot Chili Peppers e não é difícil entender o porquê.

Continuar lendo

O Ícone De Uma Geração

Segundo disco do Nirvana, com capa histórica de Kirk Weddle, tornou-se um símbolo dos anos 90.

Segundo disco do Nirvana, com capa histórica de Kirk Weddle, tornou-se um símbolo dos anos 90.

Se a música dos anos 90 tivesse um RG, certamente sua naturalidade seria a cidade de Los Angeles, mais precisamente o Sound City Studios, com o nascimento ocorrendo no dia 24/9/1991, sua foto traria um bebê com o pinto de fora numa piscina atrás de uma nota de 1 dólar presa a um anzol, seus pais seriam Butch Vig, Dave Grohl, Krist Novoselic, Kurt Cobain e seu nome seria Nevermind.

Continuar lendo

Diário Pop

History capa

Chega a ser curioso como um astro tímido e que ao longo dos anos ficou tão recluso, tenha lançado um álbum tão poderoso e confessional logo após de um dos períodos mais conturbados da sua vida.

Continuar lendo

O Caldeirão Mágico Esquecido

Pavões Misteriosos

Por que tantos discos clássicos, artistas talentosíssimos como Raul Seixas, Secos & Molhados, Novos Baianos, Guilherme Arantes, Rita Lee (fase solo), Zé Ramalho, Fagner, Ednardo, Odair José, As Frenéticas, entre outros, foram lançados nos anos 70? E por que no período entre a era de ouro do rádio nacional até os anos 60 com a Bossa Nova e o Tropicalismo, até o estouro do Brock dos anos 80, falta uma quantidade considerável de livros sobre ele?

Foi tentando buscar respostas para essas perguntas, e visando preencher essa lacuna na bibliografia musical nacional, que o renomado jornalista André Barcinski lançou em agosto de 2014 seu quinto livro: Pavões Misteriosos.

Continuar lendo

R.I.P Pop Music

Prince

Há quase 7 anos, estava completamente devastado e inconsolado com a perda do meu ídolo e estrela-guia musical Michael Jackson; ainda no rastro daquele trágico 25/6/2009 eu acreditava e gritava aos quatro cantos que a música tinha morrido!
Continuar lendo

Ótimo para conhecer o homem, nem tanto para o gênio

MARLEYxm Poster_27x40c

A tarefa de levar para as telas a trajetória de grandes ícones musicais, não é das mais fáceis; ainda mais quando se trata de Bob Marley, gênio musical cuja história de vida e do reggae se confunde.

Continuar lendo

Emprego dos Sonhos

Empire Records

Se por acaso um gênio da lâmpada viesse ao meu encontro, e dissesse que poderia me dar um emprego do mundo mágico do cinema e da música, certamente ficaria divido entre três opções: ser o dono da loja de Rob Gordon em “Alta Fidelidade”, estar no lugar do jovem Willian Miller (alter ego do diretor Cameron Crowe) em “Quase Famosos”, ou ser um dos funcionários da Empire Records (EUA, 1995).

Continuar lendo

Falhou no ritmo

Get On Up

Pegue qualquer grande artista da música norte-americana como Michael Jackson, Prince, Tupac Shakur, ou até mesmo gigantes do rock britânico, como os Rolling Stones, que você verá no DNA musical deles uma marca forte e poderosa de James Brown.
Continuar lendo

A Disneylândia do Headbanger

woodstock86original

Elvis Presley, Beatles, Rolling Stones, Cream, The Doors, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Janis Joplin, Steppenwolf, Cream; encontrar um lugar para comprar um disco destas grandes lendas para um fã tupiniquim apaixonado por rock, numa era bem distante da internet, era a mesma sensação que uma criança de 10 anos tem quando adentra na Disney.

Em 1978, esse sofrimento seria amenizado, com aquela que viria a se tornar a Disneylândia do Headbanger: Woodstock Discos. Inaugurada pelo apaixonado por rock n’ roll e colecionador dedicado Walcir Chalas, a loja começou a funcionar na Rua José Bonifácio, nº 176, loja 16, São Paulo capital.

Continuar lendo