Turma da Mônica Jovem | Sem medo

Na edição de Abril de Turma da Mônica Jovem, o tema abordado gira em torno dos medos, inseguranças e defeitos que cada um de nós temos, mas, que se quisermos, podemos superar.

TMJ 56 capa

E com a turminha não é nada diferente: a Magali, que sempre foi super comilona, aprendeu a comer tudo o que precisa nas medidas certas; o Cebola foi se tratar para deixar de falar elado, quer dizer, errado; a Mônica, apesar de todos os planos infalíveis e coelhadas da infância, se apaixonou pelo Cebola; a Marina…bem, apesar de ser namorada do Franja e conhecer o Bidu desde “sempre”, morre de medo dele e de qualquer outro cachorro.

marina e bidu

Após uma conversa que teve com o Franja, a respeito dos medos e superações, Marina se depara com um cãozinho abandonado na rua que, que aparentava estar com muita sede. Pensando em todos seus amigos que haviam passado por cima de seus medos em prol de algo maior, ela resolve, com seu lápis mágico – que torna tudo o que é desenhado em uma HQ realidade – desenhar uma nuvem de chuva sobre o cãozinho, com a intenção de ajudá-lo, sem precisar se aproximar muito. Por mais que estivesse bem intencionada, a ação de Marina acaba o deixando triste, pois não havia como se abrigar e esconder de toda aquela chuva.

Ela resolve então ligar para seus amigos ajudarem-na a resgatar o cachorrinho, como toda a turminha já tem um animal de estimação e os abrigos já estão cheios, Marina consegue 42 horas para deixá-lo no laboratório de Franja, enquanto não encontra alguém para cuidar dele. Como ninguém aparece neste prazo, ela acaba levando-o para sua casa e é aí que seu medo é colocado em prova: ela queria muito cuidar e ajudar aquele cachorro bobão, mas não tinha a menor ideia de como agir em sua presença.

tmj56-22

Particularmente, gostei bastante dessa edição: adoro animais, sejam eles cães ou gatos, e fico com o coração na mão ao ver muitas situações em que eles acabam sendo jogados nas ruas, onde passam fome, sede, correm risco vida ao lidar com o trânsito e com muitas pessoas que, infelizmente, parecem sentir prazer em maltratá-los com chutes e pancadas. Apesar de já ter dois cachorrinhos, que são parte da família, sempre que vejo algum animalzinho na porta de casa ou do trabalho, acabo dando uma mãozinha até encontrar um lugar pra eles ficarem e serem bem tratados.

TMJ 57 Capa

.

.

Na próxima edição, Veneno Virtual, a galera é alvo de fofocas na internet e Mônica resolve descobrir quem é o autor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s