E depois daqui?

Enquanto no Brasil os filmes com embasamento na doutrina espírita vêm, finalmente, ganhando espaço nas telonas, no exterior não é muito diferente.

Além da Vida está muito longe de ser, ao pé da letra, um filme espírita. Mas, na trama do grande Clint Eastwood, é possível identificarmos vários elementos que fazem referência à ensinamentos da doutrina. Para muitos expectadores isso pode não ser tão claro assim, pois Clint não está fazendo uma “propaganda” sobre o tema, tudo é feito de uma maneira bastante sutil: é muito mais sobre a forma com que a morte está presente na vida das pessoas e como elas lidam com isso.

George (Matt Damon) é um médium de verdade em meio a uma multidão que só quer se aproveitar da inocência, ou da crença, das pessoas para ficarem ricos as ludibriando. George vê seu dom da mediunidade como uma maldição e resolve, ou pelo menos tenta, fugir dele. Isso porque ele não consegue ter uma vida comum: seja porque ele não tem tempo para si mesmo, ou pelo simples fato de que, quando toca uma pessoa pode descobrir muito mais do que deveria saber sobre ela, o que, muitas vezes, acaba o afastando algumas pessoas dele.

O enredo de Além da Vida não se resume apenas a essa história: é na verdade três histórias simultâneas que lidam com a morte:

– Uma famosa e bem sucedida jornalista, Marie Lelay (Cécile de France) passa por uma experiência de quase morte em uma viagem e a partir daí sente que sua vida, de alguma forma, mudou completamente.

– George continua sendo pressionado pelo irmão interesseiro para voltar a fazer suas comunicações mediúnicas.

– Em Londres, irmãos gêmeos passam por problemas familiares com a mãe viciada em bebidas e drogas. Marcus perde seu irmão em um acidente e isso desencadeia a separação de sua mãe, que consequentemente perde sua guarda. Ele é ‘adotado’ por uma família, mas não aceita a morte de seu irmão, passando a buscar com suas próprias mãos as respostas de que ele tanto precisava, sobre o porquê de seu irmão ter partido, pra onde ele teria ido etc.

A partir daí o encontro entre as três histórias torna-se inevitável, caminhando para o desfecho dessa história.

Em termos técnicos, um aspecto bem interessante no filme é a forma com que a fotografia foi feita: uma história que se passa nos dias atuais, mas com um tratamento, digamos, refinado que traz a tela tons pasteis, o que ao meu ver acrescenta bastante no enredo de Além da Vida (viajando um pouco associo isso a forma com que o ‘além’ é descrito na literatura: cores claras, transmitindo a ideia de calmaria, o que também se relaciona ao Paraíso para o Catolicismo…).

Para quem conhece, ou é curioso, e gosta das questões espíritas há muitas outras relações a serem citadas: como a utilização (para mim fantástica) dos gêmeos como personagens e a ligação existente entre eles, o encontro necessário entre pessoas e as histórias que se cruzam de alguma forma “porque tem de se encontrar” e muito mais…eu ficaria aqui por muito mais tempo falando sobre elas e algumas interpretações, mas minha função não é essa, rs!

Resumindo: é um filme que vale a pena ser visto, seja você católico, espírita, ateu, cético ou o que seja. Ele não é uma aula sobre espiritismo, mas sim uma boa lição de como tem coisas na vida que simplesmente não têm muita explicação e que de fato acontecem. Pra mim: NOTA 7.

Hereafter

EUA , 2010 – 129 min
Drama

Direção: Clint Eastwood

Roteiro: Peter Morgan

Elenco: Matt Damon, Cécile de France, Frankie McLaren, George McLaren

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s