O Impressionante Exorcismo de Casagrande

casagrande-e-seus-demonios

Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo, setembro de 2007. Em um apartamento o DVD do The Doors está no talo, e o lendário Jim Morrison canta fortemente os impactantes versos: “This Is The End, my only friend, the end. Of our elaborate plans, the end. Of everything that stands, the end.” (Este é o fim, meu único amigo, o fim. De nossos planos elaborados, o fim. De tudo que está de pé, o fim.).

Continuar lendo

Anúncios

Menos Off. Mais Som.

Tim Maia

É inegável que falta uma cinebiografia de grandeza na trajetória das produções verde-amarelas; mesmo com algumas boas e ótimas tentativas, nenhuma delas conseguiu o feito de estar a altura de seu biografado com uma narrativa que saiba equilibrar os aspectos positivos e negativos do mesmo.

Mas, eis que surge a oportunidade de ouro para romper essa escrita: o mito da soul music brasileira, dono de um talento e poder vocal incrível, de personalidade forte, carismático e síndico do Brasil ganha seu registro na tela do cinema: Tim Maia.
Continuar lendo

Choque

Hermes e Renato

Era chocante para aquele menino de 12 anos, naquela já distante madrugada de fim de agosto de 2002, ver na TV dois sujeitos trajados de cafetões mexicanos saídos de um filme pornô dos anos 70, tendo uma discussão num muquifo de quinta e um deles mandar um bom e sonoro: “Vai tomar no C#@%*!”
Continuar lendo

Novos e promissores caminhos

X-Men Dias de Um Futuro Esquecido

Por mais que os três primeiros filmes de X-Men fossem legais na intenção de dar vida a uma das mais consagradas sagas das HQ’s e dos desenhos de TV, haviam inúmeros problemas neles, como: personagens mal aproveitados, diálogos dispensáveis, e o fator de serem “Wolverine & resto” demais.
Continuar lendo

Naturalidade

Wendel Bezerra Catsu  2014

Quem frequenta o blog já sabe que sempre que ocorre a Catsu, e tenho a oportunidade de ir, deixo aqui o meu registro. Nesse ano não foi diferente, e lá estava eu mais uma vez na convenção, desta vez para conferir a palestra do dono da voz do Goku, Bob Esponja, Jackie Chan (do desenho As Aventuras de Jackie Chan): Wendel Bezerra.
Continuar lendo

A voz do Quico

Com um bate papo bastante descontraído, Nelson Machado relembrou sua trajetória e respondou perguntas do público.

Com um bate papo bastante descontraído, Nelson Machado relembrou sua trajetória e respondeu perguntas do público.

Se a primeira impressão é a que fica, as da Catsu 2012 foram as melhores possíveis, deixando um bom nível de expectativa para a próxima, que rolou no início deste ano em maio, contando com a palestra de Cauê Moura como carro chefe, que por causa de uma prova não pude ir ao evento, restando aguardar a edição do segundo semestre.
Continuar lendo

Olê, Olê, Maiden, Maiden.

"Scream for me Rio!"

“Scream for me, Rio!”

Após tanta espera, finalmente chegava o momento que este que vos escreve, e milhares que estavam presentes na cidade do rock, e os milhões que viam pela TV, conferir o espetáculo, aula, marco e experiência de outro mundo sendo feitos ao vivo e a cores: Iron Maiden!
Continuar lendo

Retornando aos bons tempos

Círculo-de-Fogo-Cartaz

Atire o seu boneco do Jaspion, Changeman, Jiraiya, Jiban, Winspector ou Power Rangers, aquele que não teve momentos de alegria e euforia em sua infância nos anos 80/90 graças aos tokusatsus exibidos na saudosa TV Manchete e posteriormente na Globo.
Continuar lendo

Censura Noir

Segundo longa dirigido pelo astro George Clooney, retrata de forma elegante e clássica o período de "caça às bruxas" nos Estados Unidos nos anos 50.

Segundo longa dirigido pelo astro George Clooney, retrata de forma elegante e clássica o período de “caça às bruxas” nos Estados Unidos nos anos 50.

George Clooney pode até dividir público e crítica quanto a suas atuações e escolha de filmes, mas, se há algo em sua carreira que agrada a gregos e troianos é seu trabalho atrás das câmeras como diretor, fato esse atenuado com seu segunda longa: Boa Noite e Boa Sorte (EUA, 2006).

Continuar lendo

A mídia faz da violência uma estrela

Filme de Oliver Stone, baseado em uma história de Quentin Tarantino, traz uma crítica a exaltação da mídia em torno da violência.

Filme de Oliver Stone, baseado em uma história de Quentin Tarantino, traz uma crítica a exaltação da mídia em torno da violência.

Apresentadores furiosos, mandando cortar para câmera 8, 2, 3, pedindo “ibagens” do comandante lá do alto do céu com seu helicóptero cobrindo a perseguição de bandidos, falando furiosamente do assassinato de crianças em um colégio, de um roubo em um supermercado e exigindo que a violência seja exterminada. A mesma mídia que prega o fim da violência é a mesma hipócrita que a alimenta e a exalta em busca de audiência, e por consequência de lucros.

Continuar lendo