Classicaço 90’s

Caçadores de Emoção

Se há um filme pelo qual o talento da diretora Kathryn Bigelow merecia ser devidamente premiado, este está longe de ser o oscarizado e assistível “Guerra Ao Terror” de 2008; todas as honrarias deveriam ser endereçadas a um dos grandes clássicos do cinema de ação 90’s, e consequentemente dos tempos áureos da Sessão da Tarde: Caçadores de Emoção (Point Break, EUA, 1991).

Continuar lendo

Anúncios

R.I.P Pop Music

Prince

Há quase 7 anos, estava completamente devastado e inconsolado com a perda do meu ídolo e estrela-guia musical Michael Jackson; ainda no rastro daquele trágico 25/6/2009 eu acreditava e gritava aos quatro cantos que a música tinha morrido!
Continuar lendo

Tributo em ritmo de videoclipe

O Último Dragão

Dentre todas as homenagens prestadas ao grande mestre Bruce Lee, uma das que mais chama a atenção pela sua criatividade e história inusitada é um dos grandes clássicos da Sessão da Tarde, hoje um clássico cult dos anos 80: O Último Dragão
Continuar lendo

Ação Em 8 Bits

Filme inova ao trazer uma ação em ritmo de videogame.

Quando eu, meu irmão e minha prima alugamos Scott Pilgrim Contra O Mundo, achava que seria mais um filme bacana para passar o tempo e se divertir, mas o que a obra de Edgar Wright me mostrou, é que aquilo seria muito mais que um passatempo bacana.

Continuar lendo

O Mais Atemporal De Todos Os Tempos

Lançado em 1991, disco foi um grande marco no new jack swing e na carreira de Michael Jackson.

Michael Jackson realmente estava querendo começar a década de 90 a mil por hora e reafirmar sua condição de maior astro pop de todos os tempos, para fazer tal feito propôs para si mesmo um desafio um tanto quanto ousado: fazer um disco que superasse Thriller em termos de qualidade e vendagens! E o rei do pop não mediu esforços para realizar a façanha, ao lançar em novembro de 1991 aquele que viria a ser O Álbum de sua carreira: DANGEROUS.

Continuar lendo

Romance Pop

Filme escrito e dirigido por Marc Lawrence é um prato cheio para os amantes da música pop dos anos 80 e comédia romântica.

Um fator que foi primordial e decisivo para mim conferir a comédia romântica Letra e Música, foi quando meu amigo e sócio de blog Jay Jay, disse que o filme conseguia ser romântico sem forçar a barra, característica típica dos gênero, e amante como sou da música dos anos 80, iria pirar com as referências da mesma presentes no longa.

Continuar lendo

Nada se cria, tudo se copia

Até aonde você pode separar referencias e homenagens do tal “Xerox” (para ser delicado)?! ROY LICHTENSTEIN entrou no último item em minha opinião, boa parte de suas famosas artes são ctrl + c (sem direito a créditos) de muitos Continuar lendo

Experiência Pop

Jogo permite que o jogador faça alguns dos passos famosos de Michael Jackson.

Lembro-me como se fosse hoje, naquele fatídico 25 de junho de 2009, quando meu amigo e sócio de blog Jay Jay disse: “Agora com a morte do Michael Jackson vai vim um monte de livro, filme e outros sobre ele.” Dito e feito. Com o prestígio em alta de volta e com novos “fãs” (vamos discutir num futuro post a respeito dos fãs modinha) livros, filme e disco foram lançados. Mas uma das novidades mais bacanas, com relação ao rei do pop saiu no final do ano passado, quando a Ubisoft anunciou o lançamento do game Michael Jackson The Experience.

Continuar lendo

Heróis Não Nascem São Criados

Animação da Dream Works traz divertidas referências à cultura pop e uma bela mensagem

A frase que dá título ao post de hoje foi retirada da ótima animação que acaba de estrear no Brasil: Megamente. A animação da Dream Works, dirigida por Tom McGrath, traz uma divertida e interessante história. Ao ter seu planeta natal destruído ainda bebê (numa referência clara ao Super-Homem) o personagem título do filme é enviado por seus pais à Terra, porém seu caminho é cruzado com o herói perfeitinho Metro Man, que interfere na sua trajetória mandando o pequeno ser azul para uma prisão, onde é criado por presidiários que o ensinam que policiais são caras maus e roubar bancos é legal. Sua inimizade com Metro Man só vai aumentando durante sua infância, na escola quando é menosprezado por seus colegas e derrotado por seu rival, muitas vezes por culpa própria por seus planos mal bolados. Nesta fase Megamente tem um “clique” e percebe que para se dar bem na vida tem de fazer o que sabe fazer de melhor: ser um vilão.

Depois de várias tentativas o que parecia impossível para o gênio do mal, acaba acontecendo: Metro Man é derrotado em seu feriado em Metro City na inauguração de seu museu. Após este feito tudo está às mil maravilhas para o vilão e seu amigo e fiel companheiro, o ótimo personagem Criado, roubando bancos, azucrinando a vida dos moradores, destroem o museu, porém sua vida parece não ter mais motivo, pois agora não há um herói para que possa travar uma batalha. Ai bate a depressão.

A única solução encontrada é usar sua inteligência para criar um novo herói. E assim usando o DNA da capa de Metro Man, ele cria uma forma de injetar em uma pessoa boa os poderes  que um dia foi do falecido herói. O plano no início aparentemente dá certo e é criado o Titan, novo super herói de Metro City que ganha treinamento do próprio Megamente, disfarçado de “pai espacial” uma imitação de Marlon Brando- o pai do Super-Homem em 1978. Porém o tiro sai pela culatra e Titan usa seus poderes contra a cidade e em benefício próprio, cabendo a Megamente o papel de salvar a cidade.

O filme traz divertidíssimas referências à cultura pop, além dos super-heróis dos quadrinhos há também os do cinema (Sir Myagi), sátiras políticas com o governo dos EUA, com a frase Yes We Can que no filme se torna No You Can´t.Outro ponto alto é a trilha sonora que está impecável, trazendo muito rock n´ roll com AC/DC , Elvis Presley , Ozzy Osbourne , Guns N´Roses e Michael Jackson com um mega clássico da música pop,que culmina num final sensacional do filme.

Uma ótima dica pra começar muito bem a maratona de filmes nessas férias.