Ficção-Científica Além Do Convencional

O Homem Duplo

Naves espaciais, carros voadores, telões em alta definição passando mensagens publicitárias, robôs, raio-laser, luzes neon, futuro distópico cyberpunk, corrida espacial e uma explosão de luzes psicodélicas são alguns dos ingredientes clássicos de grandes obras de ficção-científica.

Mas se há algo que chama bastante atenção em “O Homem Duplo” (EUA, 2006), além de sua técnica de filmagem, é o fato de trazer uma história que vai além dos elementos convencionais do gênero.

Continuar lendo

Nem tudo que reluz é ouro

Garota Exemplar

Não há nada pior do que ler uma crítica, ouvir alguém comentando sobre um filme novo, ou até mesmo ver um trailer que entregue a sua grande surpresa; o lance de um spoiler ter mais peso que um corte de espada, realmente faz muito sentido.

Infelizmente para se analisar Garota Exemplar é impossível de se fazer sem a utilização dos spoilers, portanto, se você não o viu ainda, pare sua leitura por aqui; agora, se você já viu ou não se importa, convido para prosseguir comigo neste post.
Continuar lendo

True Detective: razão e emoção

493022

Essa série, assim como as mais belas artes, desperta o interesse, infinitas perguntas, questões e vários pontos de vista fazendo com que o conteúdo e sua visão se enriqueçam. Continuar lendo

Tarantino made in Brasil

Estreia de Afonso Poyart sai do senso comum, inova e dá uma nova perspectiva a produção de filmes de ação nacionais.

Explosões, tiros, grafismos, vídeo game, jogadas de câmera, plano para exterminar político corrupto e perseguições de carro num ritmo frenético e videoclíptico; e tudo isso apenas em um trailer! Foi dessa maneira que o País foi apresentado a uma das produções mais surpreendentes dos últimos 10 anos: 2 Coelhos.

Continuar lendo

Um Mestre De Atitude

Luiz Carlos Alborghetti, o Alborghetti, uma das raras figuras televisivas que dizia o que realmente pensava.

Raras são as figuras que vemos na TV, que dizem o que realmente pensam e tem a coragem, e a atitude de dizê-las, muitas não dizem por receio de perder patrocinadores, espantar a audiência, outras por falta de liberdade de expressão por uma imposição da emissora, porém houve um tempo em que havia um homem, que passou por cima de todas as regras e se estivesse indignado dizia sem o menor pudor o que gostaria de fazer e este grande homem de atitude é o hoje cultuado e ícone da internet: ALBORGHETTI!

Continuar lendo

Auter Ego Frustrado

Livro traz retrato autobiográfico às avessas de Tony Bellotto

“Pense no cu. Por que cu termina em u? Há um motivo. É a mesma coisa com as bucetas. O segredo está no u. U tem cheiro. U tem gosto. Até a palavra oficial do cu, ânus, tem lá seu u. Que beleza de palavra: ânus. Sente a sonoridade?”- Tony Bellotto, No Buraco.

Quando o parágrafo acima foi dito na entrevista que Tony Bellotto concedeu a Amaury Jr em seu programa, um exemplar vendido do livro No Buraco já estava garantido. O talento de Bellotto como guitarrista e compositor nos Titãs é incontestável, compôs o hino da banda: “Polícia” e colaborou em outras grandes canções do grupo: Pra Dizer Adeus, Flores, Televisão, Domingo, O Pulso, Lugar Nenhum, Armas Pra Lutar, Bom Gosto, Um Morto De Férias, etc. Agora minha curiosidade era ver se ele tinha o mesmo dom como escritor (mesmo sabendo que sua série policial Bellini é bem sucedida, o primeiro livro virou filme) e o recém lançado livro seria uma boa pedida.

A história narrada em primeira pessoa retrata a vida de Teo Zanquis, uma espécie de auter ego às avessas de Tony Bellotto, que foi um guitarrista de uma banda de rock brasileira dos anos 80, chamada Beat-Kamaiurá que obteve apenas um sucesso com seu disco Totem Rachado, o hit Trevas De Luz. Porém o sucesso logo passou e Téo agora leva uma vida miserável aos 50 anos, freqüentando sebos no centro de São Paulo, vivendo à custa dos direitos autorais de seu hit e com a ajuda de sua mãe que sofre Alzheimer, bebendo seus chopes, cheirando seu pó, morando numa quitinete  e vez ou outra dedilha alguma coisa em Isabel (nome que batizou sua guitarra, após receber uma punheta homérica de uma noviça do mesmo nome quando sua banda foi fazer um show no interior do Paraná).

O livro começa com o capítulo de nome sugestivo: A Questão Das Bocetas. Onde o personagem está com a cabeça enfiada num buraco na praia de Ipanema, conversando consigo mesmo e relembrando momentos do passado, que incluem desventuras com sua banda na estrada, transas inesperadas e picantes, vício em drogas, idas a programas de auditório, problemas enfrentados em alguns shows, viagem aos EUA  para encontrar o túmulo de seu ídolo Jimi Hendrix e relatos de seu cotidiano, que vai caminhando sem muitas ilusões.Porém há um sinal de esperança de que a vida de  Teo Zanquis ira melhorar quando ele entra no sebo Combat Records e conhece a jovem coreana e fã de rock Lien.

Seu relacionamento amoroso com Lien provoca uma grande reviravolta na história, que começa no segundo e último capítulo: O Segredo Do Cannoli. Um dia, a jovem deixa um envelope com um pen drive, que incrimina seu irmão Chang Ho (um hacker que cria um mega sistema de downloads ilegais na internet.) para que Zanquis o guarde para ela. Depois disso há perseguições de coreanos à sua pessoa para pegar o cannoli (modo que ele batizou o pen derive, em homenagem ao filme O Poderoso Chefão) e na busca pela sua amada que desapareceu após pedir o “favor”, quando ele vai à casa de Lien se depara com uma cena desagradável: O corpo de Chang Ho está todo ensangüentado no meio da sala, ele está morto! A partir deste momento o livro ganha um tom policial e um desfecho incrível e surpreendente.

O grande trunfo e a sacada do livro foi a idéia de Tony Bellotto fazer um retrato autobiográfico sendo o oposto da sua vida e carreira, o fato de narrar à história de maneira precisa, com um humor ácido, as descrições bem detalhadas das memórias sexuais do personagem, as referências pop que  fazem o leitor se sentir na pele de Teo Zanquis e o desfecho que traz o inesperado.

Para os fãs dos Titãs, de rock n´roll, literatura policial e de romance mais intenso, e que curtem ler um livro de uma “sentada só”, No Buraco é uma excelente dica literária e um livro de cabeceira essencial.

A Estréia Literária De Jay Jay

Este é o primeiro livro de João Júnior(também proprietário deste blog), cuja trama policial mostra que as aparências enganam e muito, mostrando que assim somos nós julgando as pessoas por silhuetas: mas a história mostra que as coisas não são bem assim.

O livro foi desenvolvido como trabalho acadêmico do professor de Redação Publicitária I e “Boss” do Jay Jay, Igor Ribeiro.

Sobre a arte da capa, Jay Jay fez caco por caco manualmente, o significado são vários cacos ou histórias formando uma pessoa e a única coisa colorida na vida desta mesmo ela não percebendo, está para ser acertada por duas balas.

Confira alguns comentários sobre o livro:

“O leitor vai se sentir envolvido pela história, a vida dos personagens, a trama que se cria e sem dúvida vai criar um monte de perguntas acerca da própria vida.
Este conto, contado com uma linguagem bem popular, passa pela vida de um policial que tem tudo para ser um exemplo para a sociedade e para família..
Sem dúvida, este conto traz uma reflexão acerca da vida, não somente na história que é narrada e criada, mas o que leva uma pessoa a ser algo tão diferente do que ela realmente sonha.”

Haroldo Borges Veloso

“O Inimigo Oculto, mais que uma simples narrativa policial, é também uma forma de retratar uma realidade comum e invisível aos olhos das pessoas. Realidade esta que faz com que certezas sejam questionadas, que relações sejam modificadas, que sonhos sejam abandonados… Não, seria alguém com um inimigo (oculto) mais forte que ele mesmo, que em determinado momento veria sua vida se passando em sua cabeça como um filme e não poderia fazer mais nada para que esta fosse modificada por ser tarde demais. Por ter errado demais. Por ter sido fraco frente ao seu maior adversário: O Inimigo Oculto.”

Ana Paula de Lima

“Para o autor é a realização de sonho, carregado de trabalho, estudo, leitura de outros livros, aprendizado de novas ferramentas tecnológicas, uma busca incansável pela buscado conhecimento. Um luta até desleal, pois para ele será uma luta eterna, mas tenho certeza não desestimulante.
Para o leitor um prazer em imaginar como seria esse sonho, já que também um dia na sua vida esse também foi o seu sonho. Uma mistura de passado, presente e futuro.
O prazer de ver esse resultado final é perceber que sempre haverá oportunidades e espaço para o alternativo, para o trabalho, para o sonho, para talentos em mundo escuro capitalista.
Já sonho com a segunda obra que deve estar por vir e tenho certeza que o leitor irá sonhar também e já viajar, imaginar qual será esse novo sonho. ”

Marlon Wender

Clique na imagem da capa e faça o dowload do livro.