O Belo Tributo a Huo Yuanjia

O Mestre das Armas

Chega a ser quase inimaginável que um dia a hoje poderosíssima China se sucumbiu ao domínio de impérios europeus e do Japão, com sua população sem um mínimo de autoestima e tendo a alcunha de “doente da Ásia”. Mas mais impressionante ainda foi a forma como país oriental conseguiu reverter o jogo, graças a um dos maiores nomes das artes marciais de todos os tempos: Huo Yuanjia.

Para homenagear a memória do grande mestre chinês, o astro Jet Li retornou a Xangai depois de uma longa temporada em Hollywood, e em associação com o diretor Ronny Yu, que também havia se aventurado em solo ianque e dirigido filmes como o patético Freddy VS Jason, lançou em 2006 O Mestre das Armas.

Continuar lendo

Anúncios

Novos Horizontes

Afonso-Poyart

De direção de comercial de pet shop em Santos, clipes de bombas musicais como Felipe Dylon e Marjorie Estiano, ao comando de um filme policial holywoodiano encabeçado por um grande elenco. O upgrade na carreira do cineasta paulistano Afonso Poyart chama a atenção de longe.

Continuar lendo

Dedo na ferida

Birdman

Muito mais do que o ganhador do “Oscar de Melhor Filme de 2015”, ou o filme em que a arte imita a vida de seu protagonista; Birdman (Ou a Inesperada Virtude da Ignorância) tem como grande feito o de ser um filme que coloca definitivamente Hollywood no divã.

Continuar lendo

Lista de indicados ao Oscar 2013

OSCAR 2013

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anunciou nesta manhã (10/01/2013) os indicados ao Oscar 2013. A entrega do prêmio acontece no dia 24 de fevereiro, em Los Angeles. “Lincoln” lidera a lista, com 12 indicações, seguido pelo surreal “As aventuras de Pi”, com 11.

Continuar lendo

Resgatando um herói

Filme de 2008 fez com que carreira de Van Damme tomasse um novo fôlego e desse uma nova esperança para seus fãs.

Não há nada pior para um fã de carteirinha de filmes de ação do que ver um de seus grandes heróis ter uma decaída tão profunda publicamente e ir para um poço que parece não ter fundo, com chances mínimas de sair de lá.

Esta era a triste cena e sina que os fãs do astro Jean Claude Van Damme conviviam há pouco tempo atrás. Sinônimo de grandes filmes e sucesso absoluto de bilheterias e locadoras, Van Damme fez história no cinema no fim da década de 80 e anos 90, com os filmes “O grande dragão branco” (1988), “Kickboxer – O desafio do dragão” (1989), “Garantia de morte” (1990), “Soldado Universal” (1992), “O Alvo” (1993), “Timecop: O guardião do tempo” (1994), “Morte Súbita” (1995), dentre outros sucessos, e também alguns erros como “Street Fighter: A Batalha Final” (1994).

Continuar lendo

Cult Trash

Tim Burton conseguiu de maneira perfeita retratar a vida do "pior diretor de todos os tempos".

Tanto eu como meu amigo e sócio de blog Jay Jay, somos suspeitos para falar de filmes trash, caseiros, pois somos fãs e admiradores deste gênero que de tão ruim e tosco é ótimo. Mas se este gênero hoje tem o status de Cult, muito se deve a um grande homem e nome dos filmes trash: Ed Wood.

Continuar lendo

Chico Xavier: Evolução No Cinema Nacional

Um atestado da evolução do cinema nacional

Escrevo esse post,no ponto alto de minha comoção perante ao belíssimo e fantástico filme: Chico Xavier;que assisti na noite de sexta passada.Mas vamos com calma e por partes.
Tudo começou meio sem querer querendo(como já dizia Chaves),pois tudo estava planejado para assitir ao filme Homem de Ferro 2,que estreou ontem,mas na hora H houve uma mudança de planos.Um amigo(Rogério Vaz) que me acompanhava,disse:”Lucas não anima de ver o filme do Chico não?!” Minha vontade era de convence-lo a opção oposta de ver a estreia do badalado filme de Downey Jr,porem como bom amante do cinema nacional e por uma vontade que vinha nutrindo há um bom tempo,de assitir o filme,resolvi à ir,mesmo tendo perdido os minutos iniciais e os trailers(sim sou daqueles fanáticos que gostam de ver ate o que antecede o filme).Sorte a minha que essa pequena “mudança de planos” seria uma das melhores coisas que já aconteceram em minha vida!
O principal trunfo do filme,sem sombra de dúvidas é o elenco de primeira,cujo os destaques são: Ângelo Antonio – Chico Xavier (jovem) (1931/1959),Nelson Xavier – Chico Xavier (adulto) (1969/1975),que atuam de maneira tão convincente que dá ao espectador a impressão de ver o próprio Chico na telona,Tony Ramos como o produtor do Pinga Fogo,Cristiane Torloni como sua esposa,Pedro Paulo Rangel como o padre amigo de Chico,Luís Melo (pai) e Letícia Sabatela(mãe).
Uma das coisas que mais impressionam tambem é a evolução de Daniel Filho na direção do filme,ele que tem como trabalho notório a comédia Se Eu Fosse Você,mostra com Chico Xavier que é possivel fazer um filme nacional de apelo ao grande público aliado à qualidade.A cena em que madrinha de Chico lhe da garfadas,os movimentos de camera que dão uma impressão de transe quando Chico Xavier tem sua primeira seção mediúnica e no seu primeiro encontro com Emmanuel(seu espirito guia) e o encontro com este na turbulência do avião que o leva à São Paulo para o programa Pinga Fogo(que foi exibido na TV Tupi,em 71),são momentos antológicos não só do filme mas tambem da história do cinema nacional!
Outro ponto forte do filme é o roteiro muito bem feito de Marcos Bernstein;a frase que Chico diz a respeito de sua desencarnação e a que fecha o filme,são sensacionais!
Ao acabar de assistir esta obra cinematográfica,fiquei com uma felicidade extrema,pois Chico Xavier O Filme,juntamente com Tropa de Elite(outro filmaço do cinema tupiniquim),comprova que o cinema brasileiro esta no rumo certo,evoluindo bem,tem tudo para conquistar mais e mais o público e mostra que se seguirmos este caminho não deveremos em nada,para as produções de Hollywood!
FICHA TÉCNICA
Diretor: Daniel Filho
Elenco: Nelson Xavier, Angelo Antonio, Matheus Costa, Pierre Baitelli, Christiane Torloni, Tony Ramos, Cadu Favero, Paulo Goulart, Pablo Sanábio, Gláucia Rodrigues, Cassio Gabus Mendes, Guilherme Fontes, Giovanna Antonelli.
Produção: Claudia Bejarano, Daniel Filho, Júlio Uchoa
Roteiro: Marcos Bernstein
Fotografia: Nonato Estrela
Trilha Sonora: Egberto Gismonti
Duração: 125 min.
Ano: 2010
País: Brasil
Gênero: Drama
Cor: Colorido
Distribuidora: Downtown Filmes/ Sony Pictures
Estúdio: Lereby Produções