Brother Gunner

Logo na orelha do livro o leitor já é advertido do coquetel molotov que está prestes a explodir; nele ele irá descobrir como Steven Adler conheceu Slash aos 13 anos de idade, tentou entrar na Marinha, dos abusos sexuais que sofreu aos 14 anos, como salvou Nikki Sixx de uma overdose, transou com a irmã de Tommy Lee, participou de uma orgia regida por Steven Tyler e de outra por Nick Sixx, e de sua expulsão do Guns N’ Roses.

Os chamativos (e impactantes) tópicos acima, são apenas os canapés de entrada da jornada de conquistas épicas e tragédias gregas que permeiam a vida do primeiro baterista gunner, muito bem relatadas em sua autobiografia lançada no Brasil em 2015 pela editora Edições Ideal: Meu Apetite Por Destruição-Sexo, Drogas e Guns N’ Roses.

Continuar lendo

Anúncios

Redescobrindo o Brasil magistralmente

holy-land-front

Não é preciso muitas audições para sacar que “Angels Cry”, primeiro disco do Angra lançado em 1993, era um trabalho muito acima da média: produção impecável, arranjos de extrema qualidade, solos de guitarra virtuosamente bem executados, bateria poderosa, baixo pulsante, alcances vocais impressionantes, e hinos monumentais como “Carry On”, “Time” e a faixa-título.

Continuar lendo

Blood Sugar Sex Magik: Os 25 Anos Da Consagração Do Red Hot

blood-sugar-sex-magic

Por Renato Gonzaga

24 de setembro de 1991. A data que ficaria marcada com o lançamento de um dos maiores discos de todos os tempos: Blood Sugar Sex Magik. Para muitos fãs, este é o melhor trabalho já lançado pelo Red Hot Chili Peppers e não é difícil entender o porquê.

Continuar lendo

R.I.P Pop Music

Prince

Há quase 7 anos, estava completamente devastado e inconsolado com a perda do meu ídolo e estrela-guia musical Michael Jackson; ainda no rastro daquele trágico 25/6/2009 eu acreditava e gritava aos quatro cantos que a música tinha morrido!
Continuar lendo

Falhou no ritmo

Get On Up

Pegue qualquer grande artista da música norte-americana como Michael Jackson, Prince, Tupac Shakur, ou até mesmo gigantes do rock britânico, como os Rolling Stones, que você verá no DNA musical deles uma marca forte e poderosa de James Brown.
Continuar lendo

Disco Símbolo

Destroyer

Com uma extensa e rica discografia, fica difícil escolher um álbum para simbolizar uma carreira como a do Kiss; sabe aquele papo do pai e a mãe que não consegue eleger o filho favorito numa numerosa família? Pois é.

Mas, se tem uma obra prima dos quatro caras de rostos pintados de Nova Iorque que merece ser focada para fazer o debut do grupo aqui no blog, não tem como ser outra escolha: Destroyer.

Continuar lendo

Patrimônio musical da humanidade

Buena Vista Social Club

Independentemente se sua visão for de esquerda, direita, cruzada, linhas paralelas que se cruzam em Belém do Pará, a favor ou contra quem usa camisetas com estampa daquele famoso revolucionário com ares de “messias latino”, um fato é incontestável: uma das maiores joias musicais de todos os tempos estava perdida em Cuba.

A evidência mor dessa afirmação está registrada no belíssimo documentário do prestigiado cineasta alemão Win Wenders: Buena Vista Social Club.

Continuar lendo

Quando o monstro mostrou sua força

Em um franco documentário, o Metallica mostra em detalhes como superou suas crises e seguiu sendo a maior banda de heavy metal da história.

Em um franco documentário, o Metallica mostra em detalhes como superou suas crises e seguiu sendo a maior banda de heavy metal da história.

No início dos anos 2000 nem o mais fervoroso fã do Metallica acreditaria que a banda conseguiria superar sua crise, não chegar ao fim, superar traumas do passado, finalizar um álbum, dar a volta por cima e, o mais incrível, registrar tudo isso de uma forma surpreendentemente franca no documentário Some Kind Of Monster (EUA, 140 min).

Continuar lendo