Blood Sugar Sex Magik: Os 25 Anos Da Consagração Do Red Hot

blood-sugar-sex-magic

Por Renato Gonzaga

24 de setembro de 1991. A data que ficaria marcada com o lançamento de um dos maiores discos de todos os tempos: Blood Sugar Sex Magik. Para muitos fãs, este é o melhor trabalho já lançado pelo Red Hot Chili Peppers e não é difícil entender o porquê.

Continuar lendo

Anúncios

Várias variáveis de um sucesso

Livro de Gessinger traz olhar intimista sobre trajetória de sucesso do Engenheiros do Hawaii.

A data é 11 de janeiro de 1985, Humberto Gessinger (então guitarrista), mais Carlos Maltz (bateria) e Marcelo Pitz (baixo), fazem o primeiro show do Engenheiros do Hawaii que, numa coincidência do destino, ocorre no mesmo dia da aber­tura do primeiro Rock in Rio, na faculdade de arquitetura de Porto Alegre.

Continuar lendo

Conclusão com gosto de quero mais

Filme conclui de forma grandiosa a trilogia de Nolan.

É possível se empolgar com um filme mesmo sabendo das principais reviravoltas e surpresas contidas nele? Será que tanta exaltação em torno dele não poderia gerar uma frustração? Foi com esses questionamentos na cabeça que fui conferir um dos lançamentos mais aguardados do ano e da minha vida: Batman – O Cavaleiro Das Trevas Ressurge.

Continuar lendo

Um diamante a ser lapidado

Primeiro filme de Quentin Tarantino, mostra o genial diretor que estava por vir.

Falar que Quentin Tarantino é um diretor genial, que revolucionou o jeito de se fazer filmes e que ele é uma grande inspiração aos aspirantes a futuros profissionais da sétima arte, é chover no molhado, falar mais do mesmo

Porém, como se deu a origem desse revolucionário diretor? E minhas curiosidades a cerca disso, aumentaram ainda mais, quando meu amigo, sócio de blog e fã alucinado de Tarantino, J.Júnior , me contou dados curiosos de Cães De Aluguel (Reservoir Dogs, EUA , 1992).

Continuar lendo

Rock On Photo

Fotografias de Mark Seliger possuem alto grau de intimidade e intesidade.

Para começar bem a nova categoria do blog, que irá destinar-se a uma das mais belas artes, a Fotografia, nada melhor do que um fotógrafo que transmite um alto grau de intensidade e intimidade com suas imagens.

Mark Seliger foi o principal fotógrafo da Rolling Stone EUA no período de 1992 a 2002, produzindo mais de 100 capas. Suas fotos conseguem transmitir as mudanças que não só o mundo passou como também a cultura pop, a moda e a indústria fonográfica.

Atualmente Seliger reside na cidade de Nova York e trabalha para a Conde Nast Publications e ainda faz colaborações para a Rolling Stone.

Abaixo segue algumas das principais fotografias de Mark Seliger:

Eddie Vedder vocalista do Pearl Jam

Gisele Bündchen, foto feita em 2000

Johnny Cash

Katy Perry em ensaio recente para a Rolling Stone EUA

Lenny Kravitz

Michael Stipe vocalista do R.E.M

Metallica na época do auge do sucesso com seu antológico Black Album de 1991

Os líderes do Rolling Stones Mick Jagger e Keith Richards

Nirvana. O interessante da fotografia é a mensagem crítica e irônica do vocalista Kurt Cobain que diz: Revistas Corporativas Continuam Um Saco.

Paul McCartney

Red Hot Chilli Peppers clicados em junho de 1992. Nesta imagem original, aparecem os então quatro integrantes - Chad Smith, Anthony Kiedis, Flea e John Frusciante. Mas Frusciante saiu do grupo antes de a revista ir para as bancas e foi apagado da capa.

U2

White Stripes

Um Drácula Diferente

Filme de Coppola traz Drácula sob um ponte de vista diferente.

Lembro-me bem de quando tinha 4 anos (era 1994) e ficava dando olhadas de rabo de saia em um filme que meus tios viam na sala de TV, onde um jovem Keanu Reeves ia de encontro ao Drácula num clima tenso, que me dava um certo medo, mas ao mesmo tempo atiçava minha curiosidade. Passados 16 anos, depois de muita enrolação (e na próxima oportunidade verei), graças a um grupo de estudo feito na minha faculdade no fim de semana passado, finalmente assisti esta grandiosa obra de Coppola.

Antes da exibição da película na apresentação da ficha técnica do filme e num resumo da sinopse, meu amigo e professor Moacir que comandava o grupo de estudo disse uma frase que foi e pra mim é a característica marcante do filme: “Depois de ver esse filme, vocês verão um Drácula sob um ponto de vista diferente!”

O que impressiona no filme, realmente é o fato de, além de ser fiel a fantástica obra de Bram Stoker, trazer um Drácula diferente das visões pré-concebidas que as pessoas tem deste ser: ao invés de um ser demoníaco, devorador de pescoços, vemos uma figura que tornou-se maligna, pois foram impostas situações da Igreja Católica tão extremas que o forçaram a se tornar um vampiro, que por amor a Elisabeta era capaz de fazer qualquer coisa. Nesse ponto temos de aplaudir Coppola, por mostrar e provar que um vampiro pode ser romântico, com classe e elegância e sem frescuragens (como anda sendo abordado numa saga por ai).

Além de contar com uma belíssima trilha sonora, fotografia, cenários grandiosos e figurinos bem feitos, o filme me marcou bastante por conter 4 cenas antológicas. A primieira delas já começa no início do filme, quando Vlad ao ver que os sacerdotes da igreja católica (os quais ele serviu nas cruzadas) não irão abençoar e permitir o enterro de sua amada Elisabeta em solo sagrado, renega a Cristo fincando sua espada no meio da cruz e diz que o sangue será sua fonte de vida eterna e bebe em um cálice o sangue que sai da cruz, sendo condenado à sede eterna (vampirismo). A segunda é quando Jonathan Harker,descobre que é prisioneiro do castelo do Conde Drácula e é tentado por suas vampiras, numa cena que traz elementos de erotismo e terror que fazem uma referência à um dos sete pecados capitais (luxúria). Em terceiro a cena em que Vlad tem de contar a Mina (reencarnação de Elisabeta) que é o Conde Drácula, fazendo que sua amada chore e peça para se tornar uma vampira; nessa cena há dois momentos marcantes: onde Vlad transforma as lágrimas de Mina em seis gotas de diamantes e quando ele se renega em colocar sua maldição na amada, mas acaba cedendo e oferece seu próprio sangue para sua saciação. Por fim temos a cena final onde ambos estão no castelo na Transilvânia onde Mina vive o dilema de ter de matar seu amado Vlad, para se libertar da maldição e ele também.

Portanto, por esses motivos pode-se declarar que o filme de Francis For Coppola é disparadamente, até hoje, o melhor filme de vampiro feito na história do cinema!

Se você ainda não viu essa belíssima obra cinematográfica e achou um exagero minha declaração, assita e entenderá; agora se voce já faz parte do grupo que já viu o filme, sabe muito bem do que estou falando!

FICHA TÉCNICA
Diretor: Francis Ford Coppola
Elenco: Gary Oldman, Winona Ryder, Anthony Hopkins, Keanu Reeves, Richard E. Grant, Cary Elwes, Sadie Frost, Tom Waits, Bill Campbell, Monica Bellucci.
Produção: Francis Ford Coppola, Fred Fuchs e Charles B. Mulvehill
Roteiro: James V. Hart, Bram Stoker
Fotografia: Michael Ballhaus
Trilha Sonora: Wojciech Kilar, Annie Lennox
Duração: 130 min.
Ano: 1992
País: EUA
Gênero: Terror
Cor: Colorido
Estúdio: Columbia Pictures