Potencial Desperdiçado

Jogo Vorazes

Mal saíram de cena o mega fenômeno Harry Potter, e a bomba atômica da saga Crepúsculo, e já no início de 2012 veio a franquia que preencheria a lacuna do público teen nos cinemas: Jogos Vorazes.

Bem na sua época de lançamento fiquei empolgado com a premissa do filme baseado na trilogia da escritora norte-americana Suzanne Collins; mas após conversar com algumas pessoas que viram ele, e me disseram que o mesmo não era lá essas coisas, dei uma desanimada.

Após quatro anos, finalmente resolvi dar a merecida chance que Jogos Vorazes merecia; e realmente a premissa e o enredo são ótimos, mas no que diz a respeito a sua execução e desenvolvimento, infelizmente ele se revela como uma decepção.

Passado num futuro distópico no país Papem, divido em 12 distritos, nele é realizado anualmente a competição que dá nome a obra, que para celebrar o “Tratado de Traição” de rebeldes contra a capital, cada distrito terá de ceder dois jovens (um do sexo masculino, outro do feminino) como “tributos” para participar da competição.

O regulamento da competição é simples e direto: vence aquele que chegar ao final após eliminar (leia-se matar) cada um dos seus oponentes. Nesse cenário se encontra a jovem filha de uma viúva, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) que ao ver sua pequena irmã sendo selecionado para o truculento torneio, se oferece como voluntária para ir em seu lugar.

Até ai, o filme é sensacional, com a premissa de críticas sociais e políticas de um estado absolutista, de mensagem de amo ao próximo, e determinação para mudar uma situação que está muito errada.

Escalação da atriz Jennifer Lawrence no papel da protagonista Katniss Everdeen é um dos trunfos do filme.

Escalação da atriz Jennifer Lawrence no papel da protagonista Katniss Everdeen é um dos trunfos do filme.

Mas, tudo começa a desandar quando vamos nos deparar de fato com o elemento essencial da trama; ao invés de ir direto para a competição, e ir desenvolvendo a história no decorrer dela, opta-se por um longo e inócuo treinamento, que só reforça (com exceção da garotinha do distrito 8) a falta de carisma dos coadjuvantes mirins, a falha de ritmo do roteiro e a tentativa forçada e ridícula de plantar um romance juvenil.

E as decepções não param quando finalmente se chega de fato na edição de número 74 dos Jogos Vorazes, com a ação sendo deixada de lado em vários momentos, e jovens aparentando que estão numa excursão de colônia de férias, ao invés de estarem lutando pela própria vida, o que desanima até nos momentos em que os conflitos de fato acontecem.

Quando a questão política volta à tona graças a um triste evento, e tem-se a sensação de que o filme vai dar uma mega reviravolta com uma revolução, tudo desaba com uma solução fácil e preguiçosa: forçar mais do que nunca um romance entre adolescentes!

Soma-se a isso uma trilha sonora que não colabora em nada para um tom épico e de aventura, e efeitos especiais, que apesar de ter bons momentos, chegam a envergonhar por alguns excessos de CGI (ressaltado principalmente nos ridículos “figurinos de fogo”).

Apesar dos pesares, nem tudo é uma tragédia na primeira incursão cinematográfica dos livros de Collins, já que a escolha de Lawrence para o papel da protagonista se mostra certeira, com uma ótima atuação da atriz que consegue equilibrar de maneira precisa angústia, meiguice, superação e determinação na medida.

O elenco de apoio adulto é excelente, com destaques para os talentosíssimos Woody Harrelson (no papel do mentor Haymitch Abernathy), Stanley Tucci (como o apresentador Caesar Flickerman), o veterano Donald Sutherland (presidente Snow), e apesar de ter sofrido duras críticas, o rockstar Lenny Kravitz manda bem como o estilista Cinna.

Também não se pode deixar de destacar a fotografia e direção de arte, que são um belíssimo espetáculo visual.

Pena que no final das contas a sensação que Jogos Vorazes deixa é a de um filme bem produzido, mas com trama mediana e mal executada, demonstrando que desperdiçou todo o seu potencial.

Ficha Técnica

Gênero: Ação

Direção: Gary Ross

Roteiro: Gary Ross

Elenco: Alexander Ludwig, Amandla Stenberg, Amber Chaney, Annie Thurman, Ashton Moio, Brooke Bundy, Candace Blachard, Chris Mark, Dakota Hood, David Goff, Dayo Okeniyi, Donald Sutherland, Elizabeth Banks, Ethan Jamieson, Ian Nelson, Isabelle Fuhrman, Jack Quaid, Jacqueline Emerson, Jennifer Lawrence, Jeremy Marinas, Josh Hutcherson, Kalia Prescott, Kara Petersen, Karan Kendrick, Kelly Collins Lintz, Kimiko Gelman, Latarsha Rose, Leigha Hancock, LennyKravitz, Leven Rambin, Liam Hemsworth, Nelson Ascencio, Nick Karner, Paula Malcomson, Pedro Barquin, Phillip Troy Linger, Raiko Bowman, RussellCook, Sam Ly, SamTan, Stanley Tucci, Steve Coulter, Tara Macken, Tim Taylor, Toby Jones, Wes Bentley, Willow Shields, Woody Harrelson

Produção: Jon Kilik, Nina Jacobson

Fotografia: Tom Stern

Trilha Sonora: James Newton Howard, T-Bone Burnett

Duração: 144 min.

Ano: 2012

País: Estados Unidos

Cor: Colorido

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s