Nem todo remake é um pesadelo

Scarface

O simples fato de se falar a palavra remake, pode causar os mais tenebrosos pesadelos de tirar o sono de milhões de cinéfilos ao redor do planeta, ainda mais numa era onde Hollywood parece ter deixado a sua criatividade enterrada em décadas passadas.

Porém, toda regra tem as suas exceções, e se há um caso clássico de que um remake pode cair bem para um filme, este se aplica perfeitamente em Scarface (EUA, 1983).

Tendo como ponto de partida Scarface- A Vergonha De Uma Nação, dirigido por Howard Hawks em 1932, a trama agora se passa em 1980, quando o ditador cubano Fidel Castro resolveu abrir o Porto de Mariel, para que seus compatriotas pudessem visitar seus parentes nos USA.

Essa é a brecha para que o problemático Tony Montana (Al Pacino) possa ir atrás dos sonhos em solo ianque, começando com serviços de capanga, mas aos poucos, com sua atitude e poder de persuasão,irá galgar o mais alto posto da máfia de Miami.

Vários foram os pontos a favor para que a obra do grande diretor Brian De Palma superasse o original, e ser elevada ao status de clássico, sendo lembrada em várias listas dos “melhores de todos os tempos”.

Say Hello To My Little Friend!

Say Hello To My Little Friend!

A começar com o roteiro escrito pelo então promissor cineasta Oliver Stone, que traz um anti-herói tentando subir na vida no modo distorcido do “sonho americano” onde com o dinheiro, trapaças e mão de ferro, o “mundo é seu”.

De Palma traz uma direção firme e criativa, fazendo com que as quase três horas de duração não pesem, dando um ritmo cativante e cenas memoráveis em praticamente todos os atos; além de desenvolver muito bem os personagens.

Falar da atuação do monstro sagrado Al Pacino é chover no molhado, mas é impossível não destacar o brilho e a entrega descomunal que o ator dá para seu personagem, com olhares perdidos e ameaçadores, frases de efeito, e uma postura digna de uma pessoa que consegue ser cativante a todo estante.

No papel de Elvira, a musa de desejo do gangster, Michelle Pfeiffer está sublime! Com olhares e um andar extremamente sexy, a atriz faz com que sua atração seja fatal, sendo o exemplo perfeito de como uma mulher pode fazer com que um homem fique com o queixo arrastando pelo chão apenas com sua presença.

Apesar de conter uma violência extremamente pesada, e um roteiro recheado de palavrões, Scarface provou ser um clássico imune ao tempo e as duras críticas que sofreu na época de seu lançamento, tornando-se uma obra-prima a ser reverenciada e obrigatória no currículo de todo cinéfilo ou admirador de cinema que se preze.

Ficha Técnica

Gênero: Policial

Direção: Brian De Palma

Roteiro: Oliver Stone

Elenco: Al Israel, Al Pacino, Albert Carrier, Ángel Salazar, Angela Aames, Angela Nisi, Anthony Saenz, Arnaldo Santana, Arnold Tafolla, Ava Lazar, Barbra Perez, BenFrommer, Bob Yanez, Caesar Cordova, CarlosCestero, Catharine Richardson, Charles A. Tamburro, Charlie Adiano, Cynthia Burr, Dante D’Andre, Dennis Holahan, Dona Baldwin, Edward R. Frommer, Emilia Crow, F.Murray Abraham, Garnett Smith, Gary Carlos Cervantes, Geno Silva, Gil Barreto, Gregory Cruz, HarrisYulin, Heather Benna, Ilka Tanya Payan, Jeanette Linne, Jim Towers, Joe Marmo, John Brandon, John Gamble, John McCann, JohnCarter, Johnny Contardo, Karen Criswell, Katt Shea, Lana Clarkson, Lee Benton, Lisa Katz, Loren Almaguer, Manuel Padilha Jr., Marcia Wolf, Margaret Michaels, Margo Kelly, Marii Mak, Mario Machado, Mark Margolis, Mary Elizabeth Mastrantonio, Michael Alldredge, Michael P. Moran, Michael Rougas, Michel François, Michelle Pfeiffer, Mike Moroff, Miriam Colon, Nancy Lee Andrews, Pat Simmons, Paul Espel, Paul Shenar, Pepe Serna, Ray Martel, Rene Carrasco, Rhonda Sandberg, Richard Belzer, Richard Caselnova, Richard Delmonte, Richard Mendez, Robert Hammer Cannerday, Robert Loggia, Robert Vandenberg, Roberto Contreras, Ronald G. Joseph, Santos Morales, Shelley Taylor Morgan, Steven Bauer, Sue Bowser, Ted Beniades, TerriTaylor, Tina Leigh Cameron, Tony Pann, Tony Perez, Troy Isaacs, Victor Campos, Victor Millan, Wayne Doba

Produção: Martin Bregman

Fotografia: John A. Alonzo

Trilha Sonora: Giorgio Moroder

Duração: 170 min.

Ano: 1983

País: Estados Unidos

Cor: Colorido

Estúdio: Universal Pictures

Classificação: 18 anos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s