Os ideais são pacifistas, a história é violenta

Corações de Ferro

O título que abre este post é apenas uma das várias frases de efeito, e que leva o espectador a reflexão, ao longo de Corações de Ferro (EUA, 2014), mais novo registro cinematográfico da 2º Guerra Mundial.

Dirigido por David Ayer, e com um elenco encabeçado por Brad Pitt, Shia LaBeouf, John Bernthal, Michael Peña e Logan Lerman, o filme se enquadra facilmente na categoria de “efeitos que uma guerra causa na alma e consciência de um combatente”, algo já visto em Platoon (clássico de Oliver Stone, de 86) e O Resgate Do Soldado Ryan (mais uma obra-prima de Spielberg, de 99).

Aqui vemos uma já devastada e suja Alemanha, no período final de guerra em 1945, cenário no qual se encontram os combatentes americanos Don “Wardaddy” Collier (Pitt), líder de uma tripulação veterana do tanque “Fury” (que dá nome ao título original), que conta também com Boyd “The Bible” Swan (LaBeouf), Trini Garcia (Peña) e Grady Travis (Bernthal).

Em meio à perda de um membro da equipe, ao retornarem para sua base, eles ganham seu mais novo motorista auxiliar: o jovem e inocente Norman (Lerman), que jamais poderia imaginar que aquela experiência lhe traria marcas profundas.

Tripulação pronta para a batalha.

Tripulação pronta para a batalha.

Com uma excelente fotografia, e uma direção de arte impecável, o drama de guerra de David Ayer, consegue mostrar todos os lados podres e maléficos que uma guerra pode causar: de um corpo esmagado por um tanque como se fosse um inseto, a crianças alemãs covardemente usadas como soldados nazistas.

O mais incrível aqui é o equilíbrio entre o drama e a ação, com cenas de tirar o fôlego embaladas com uma trilha sonora sensacional e falas bem dividas entre os atores, cada qual se entregando ao máximo aos seus personagens.

Se há uma falha em Corações de Ferro, fica por conta de seu final -que apesar de ser uma excelente e grandiosa sequencia de batalha- com o fator “testemunha ocular da história”, que soa forçado demais.

Além dos clássicos citados no início do post, o filme já pode figurar não só na lista dos melhores de 2015 (e olha que o ano mal começou!) como também nos que abordam este tema tão triste e icônico de nossa história.

Ficha Técnica

Gênero: Ação

Direção: David Ayer

Roteiro: David Ayer

Elenco: Alicia von Rittberg, Anamaria Marinca, Brad Pitt, Brad William Henke, Christopher Maleki, Daniel Betts, Edin Gali, Jason Isaacs, Jim Parrack, Jon Bernthal, Kevin Strom, Kevin Vance, Laurence Spellman, Logan Lerman, Michael Peña, Scott Eastwood, Shia LaBeouf, Xavier Samuel

Produção: Bill Block, David Ayer, Ethan Smith, John Lesher

Fotografia: Roman Vasyanov

Montador: Dody Dorn

Trilha Sonora: Steven Price

Duração: 134 min.

Ano: 2014

País: Estados Unidos

Cor: Colorido

Distribuidora: Sony Pictures

Estúdio: Columbia Pictures / Crave Films / Grisbi Productions, Le / Huayi Brothers Media / LStar Capital / QED International

Classificação: 16 anos

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s