Muita ação com toque de arte

Lucy

Os mais críticos que acham que o cinema deve sempre ser “o mais próximo do real” e cientistas, com certeza dirão que Lucy (Lucy, 2014) não passa de uma bobagem high tech de embalagem bonita para ser consumida pelo grande público.

Se você for um destes, é realmente melhor cair fora desta empreitada, agora, se a sua praia é ver um filme de ação com uma premissa interessante e eletrizante do começo ao fim, o retorno de Luc Besson a ficção científica encabeçada por uma femme fatale, revela-se como uma das coisas mais bacanas de 2014.

Na trama, Lucy (Scarlett Johansson) é uma aspirante a atriz/modelo que se vê forçada pelo namorado a entregar uma encomenda suspeita a uma poderosa máfia de Taiwan; forçada a trabalhar como “mula” transportando uma droga experimental em seu estômago, que por causa de um tratamento nada cordial dos capangas, a droga acaba “vazando” para o seu organismo.

Esse acidente que poderia provocar uma overdose faz a protagonista ter acesso a áreas não desbravadas de seu cérebro, e passa a ser de uma fútil gostosa-objeto para uma verdadeira arma de destruição em massa ambulante.

Expandindo a mente

Expandindo a mente.

Como já era de se esperar de um trabalho de Besson, o filme traz uma direção magistral do francês com uma edição de imagens e cenas de ação como a do carro andando na contramão no trânsito de Paris, de fazer nossos olhos quase saírem de órbita.

A trilha de seu companheiro de longa data Eric Serra também colabora para que o mega espetáculo visual visto na tela tenha seus momentos de tensão e poesia.

Mas é no elenco que Lucy tem seu principal arsenal de fogo, que foi capaz de arrebatar um cinéfilo de Los Angeles a Berlim. Scarlett Johansson mostra mais uma vez seu talento ao conseguir transmitir naturalmente as emoções extremas de sua personagem, entrando para o seleto hall de grandes heroínas do diretor, e pra fechar, ainda há a presença mais do que especial de Morgan Freeman como o “mentor científico” de Lucy.

Apesar da conversa que Freeman tem com Johansson do porque ela deve ajudar a humanidade ser um tanto quanto rápida e do final tentar emular uma emoção já vista em Energia Pura, mas acabando de uma maneira simples e absurda, a narrativa apresentada é tão eficiente que você terminará a sessão com a sensação de que um pó azul mexeu com a sua cabeça.

Ficha Técnica

Gênero: Ação

Direção: Luc Besson

Roteiro: Luc Besson

Elenco: Amr Waked, Analeigh Tipton, Cédric Chevalme, Christophe Tek, Claire Tran, Frédéric Chau, Jan Oliver Schroeder, Mason Lee, Min-sik Choi, Morgan Freeman, Paul Chan, Pilou Asbæk, Scarlett Johansson, Yvonne Gradelet

Produção: Christophe Lambert, Luc Besson, Virginie Silla

Fotografia: Thierry Arbogast

Trilha Sonora: Eric Serra

Duração: 89 min.

Ano: 2014

País: Estados Unidos

Cor: Colorido

Classificação: 16 anos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s