True Detective: razão e emoção

493022

Essa série, assim como as mais belas artes, desperta o interesse, infinitas perguntas, questões e vários pontos de vista fazendo com que o conteúdo e sua visão se enriqueçam. O modo com que a série aborda os personagens é tão bacana e bem trabalhando que parece que o momento vai ganhar vida e sair da moldura/tela.

Não pode ser chamada de uma simples série; na verdade, se você analisar por vários fatores como a direção, qualidade e atuações este é um filme com 8 horas de duração. Com referências literárias e visuais, grandes embates filosóficos e uma abertura épica acompanhada pela música “Far From Any Road”, do grupo country The Handsome Family.

A sinopse é a seguinte: em 2012 dois ex-detetives, Martin Hart (Woody Harrelson) e Rustin Cohle (Matthew McConaughey), do estado de Louisiana são investigados a respeito de um crime ocorrido em 1995, um crime que deixou todos chocados na época e que, aparentemente, teria sido executado por um serial killer. Tudo indicava ser um ato pagão, pelo símbolo em forma de espiral deixada na vítima e pela caracterização da cena do crime, embaixo de uma árvore.  Árvore esta que tem suas raízes profundamente fixadas no chão de Louisiana assim como as várias ondas de abuso infantil e desaparecimentos naquelas terras.

q3e2N3p
Algumas perguntas que nos fazemos logo de cara são: quem é o assassino? Por que ambos os detetives voltaram a ser abordados pela polícia depois de tantos anos? Por que eles são “ex-detetives”? Somente um true detetive irá resolver todos esses questionamentos, juntando as pistas e decifrando o enigma deste universo obscuro e doentio.

Sobre a dupla explosiva pode-se dizer que os detetives são representados principalmente pela razão e emoção.

giphy

Rustin Cohle é um personagem inverso ao Hart, ele é extremamente realista, soando sempre bem pessimista. Sem soltar spoiler sobre o personagem, ele não compreende a religião, política e a sociedade, odeia a humanidade e tem sua maneira pessoal de ver o mundo. (Me identifiquei com o personagem, por algumas ideias, pelo ceticismo, isso é raro de se ver em um personagem de TV. Outro detalhe é o simbolismo pessoal, por exemplo, ele tem um crucifixo no quarto para estar sempre ciente do “sacrifício”, eu tenho “A criação de Adão” para me lembrar da “igualdade”).

giphy (2)

Martin Hart, o qual até mesmo o nome sugere, soa como “coração” em inglês, é um pai de família, casado, pai de duas lindas filhas, é um sujeito com bastantes amigos e muito carismático. Ao mesmo tempo, sempre deixa seus sentimentos, ou melhor suas emoções, na frente de tudo. A emoção é algo bom mas, às vezes, pode nos levar por um caminho sem volta.

giphy (3)

Com algumas influências dos contos obscuros de HP Lovecraft, essa série vai te puxar pela terra e engolir até o seu ultimo pedaço de carne. Quando você se restaurar e voltar à vida com os pés no chão vai ver que a semelhança com a realidade é imensa. Mas fica a pergunta, o que é realidade para nós?

Welcome to Carcosa!

WRixT3b

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s