O primeiro grande encontro

Rota de Fuga

Se em Os Mercenários o encontro entre Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger serviu para saciar a curiosidade dos fãs e saudosistas de plantão dos grandes filmes de ação dos anos 80 e 90, por mais que fosse legal ver os dois ícones na telona, faltava mais tempo de interação para que o encontro fosse algo à altura de seus respectivos legados.

Não demorou muito para que um filme onde Rambo e T-800 seriam suas estrelas fosse lançado e, diga-se de passagem, com a qualidade que merece: Rota de Fuga (Escape Plan, EUA, 2013).

Na trama, Sly é Ray Breslin, um especialista em testar a segurança de penitenciárias onde fica preso, foge e conta o plano para o responsável como o fez e oferece o serviço de sua empresa que é especializada em sanar este problema.

Após uma bem sucedida fuga que abre o filme, Ray é chamado para um serviço, que por mais estranho e nada convencional que fosse, o deixa intrigado e o faz aceitá-lo: terá de ir para uma prisão secreta, onde não se sabe sua localização e nem a sua estrutura, tendo de bolar um plano do zero.

Porém, este não será um trabalho comum, e Breslin vira um cárcere de verdade. Sair daquele inferno onde guardas não têm identidade, não se vê a luz do sol, com comida péssima e de tratamento hostil, não será tão simples; é ai que entra a figura de Rottmayer (Schwarzenegger), um braço direito de um famoso criminoso, com o qual o especialista terá de unir forças se quiser obter êxito em seu plano.

Unindo forças para fugir da "Tumba".

Unindo forças para fugir da “Tumba”.

Como todo grande filme de fuga de prisão que se preze, Rota de Fuga tem todos os elementos necessários para ser um gol de placa: trilha sonora ótima para criar uma ambiência, ação na medida certa, roteiro com frases de efeito e piadas afiadas, e uma história que, por mais clichê que seja dentro do gênero, é bastante plausível.

Sem sombra de dúvidas, o principal trunfo aqui é o mega elenco: a interação entre Stallone e Schwarzenegger é excelente, e está mais divertida que em Os Mercenários (com destaque pra cena onde o governator fala alemão/autríaco na solitária; mega hilária!), assim como a de Jim Caviezel, que após um tempo sumido do cinema, retorna com estilo e fazendo um bom vilão na pele do diretor inescrupuloso Hobbes, e Sam Neil é uma grata surpresa quando surge como o médico da prisão.

Porém, mesmo com tudo em sintonia, há alguns pontos falhos, como alguns furos no roteiro que tiram um pouco o brilho da história, e o fato de Vinnie Jones não ter um espaço maior com seu guarda carrasco Drake, algo que poderia agregar na construção do embate entre mocinhos e vilões.

Mesmo assim, Rota de Fuga é um tiro certeiro tanto para seu público-alvo, quanto para os não nostálgicos e público feminino, que poderão curtir um grande filme de ação com ótima qualidade.

Ficha Técnica

Gênero: Ação

Direção: Mikaël Hafstrom

Roteiro: Jason Keller, Miles Chapman

Elenco: 50 Cent, Aaron Saxton, Amy Ryan, Arnold Schwarzenegger, Benjamin Wood, Brian Oerly, Caitriona Balfe, Faran Tahir, James Rawlings, Jaylen Moore, Jeff Chase, Jim Caviezel, John L. Armijo, John R Mangus, Lydia Hull, Matt Gerald, Rex Baker, Rob Fuller, Sam Neill, Steven Krueger, Sylvester Stallone, Vincent D’Onofrio, Vinnie Jones

Produção: George Furla, Kevin King Templeton, Mark Canton, Randall Emmett, Robbie Brenner

Fotografia: Brendan Galvin

Montador: Elliot Greenberg

Trilha Sonora: Alex Heffes

Duração: 115 min.

Ano: 2013

País: Estados Unidos

Distribuidora: Paris Filmes

Classificação: 14 anos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s