A mídia faz da violência uma estrela

Filme de Oliver Stone, baseado em uma história de Quentin Tarantino, traz uma crítica a exaltação da mídia em torno da violência.

Filme de Oliver Stone, baseado em uma história de Quentin Tarantino, traz uma crítica a exaltação da mídia em torno da violência.

Apresentadores furiosos, mandando cortar para câmera 8, 2, 3, pedindo “ibagens” do comandante lá do alto do céu com seu helicóptero cobrindo a perseguição de bandidos, falando furiosamente do assassinato de crianças em um colégio, de um roubo em um supermercado e exigindo que a violência seja exterminada. A mesma mídia que prega o fim da violência é a mesma hipócrita que a alimenta e a exalta em busca de audiência, e por consequência de lucros.

É justamente criticando esse esquema sujo e cínico, que Quentin Tarantino escreveu seu primeiro roteiro, andando Hollywood em cima e em baixo, com ele debaixo do braço, rodando de estúdio em estúdio, até ele parar nas mãos do consagrado diretor Oliver Stone, que em 94 idealizou o clássico, que juntamente com Pulp Fiction, redefiniria a óptica da violência: Assassinos Por Natureza.

Mick (Woody Harrelson) e Mallory (Juliette Lewis), são um casal que pega a rota 666 matando pessoas por onde passam, deixando rastros de sangue e balas, e não por vingança, dinheiro ou justiça, apenas pelo desejo de matar. A fama do casal logo se espalha pelo país, com a mídia os alçando a alcunha de “pop stars”, muito graças ao apresentador de um programa mundo cão, Wayne Gale (Robert Downey Jr), que espera conseguir um nível de audiência espetacular em cima de Mick e Mallory. Enquanto isso, o delegado Dwight McClusky (Tommy Lee Jones) encontra-se numa sinuca de bico, incomodado com a presença dos ilustres assassinos em sua penitenciária, fica louco para pegar uma carona no sucesso como o delegado durão e que resolve as coisas.

Logo com 20 minutos de duração, o filme já diz a que veio, com uma fotografia espetacular de Robert Richardson, alternando P&B, com colorido, tons vermelho e verde, aliadas a sagaz direção de Stone que alterna imagens de 8 mm, com VHS, câmera 70 mm e imagens de animação, numa linguagem bem MTV, como forma de conduzir o filme. A introdução da família de Mallory e seu encontro com Mick, numa referência às clássicas sitcons americanas, é uma aula de humor ácido, e as cenas do “exorcismo” com um apache, o tiroteio na farmácia e a rebelião na penitenciária são de cair o queixo!

Assassinos Por Natureza cena

O elenco, em sua maioria, tem suas melhores interpretações de suas respectivas carreiras, casos de Woody Harrelson, Juliette Lewis, que exalam uma química fantástica na tela e Downey Jr que está fora de sério com um cinismo e humor sarcástico de fazer inveja a Tony Stark.

A trilha é um verdadeiro show com os mais variados nomes: Rage Against The Machine, L7, Nine Inch Nails, a própria Juliette Lewis e Leonard Cohen, que ditam com maestria o ritmo da trama.

Tarantino chegou a brigar com a produção na época, pois sua ideia original era a de um humor negro, e não na construção da personalidade dos protagonistas e na violência exagerada como Stone preferiu fazer, pedindo até para seu nome ser retirado dos créditos.

Mas o fato é que mesmo com bastantes críticas negativas e rejeições, o diretor que nunca foge de uma controvérsia, conseguiu como poucos fazer uma obra de extrema violência sem ser de forma gratuita; mesmo isso sendo o mote da história, ao fazer o contraste da forma como a mídia e a sociedade a vê, com a visão de quem a pratica e os meios que o leva para tal, tudo isso de uma forma crítica.

Um típico clássico do cinema “tapa na cara” da sociedade, que é necessário surgir de tempos em tempos, pois nunca é demais abalar estruturas e dar um giro de 360º em visões e pensamentos.

FICHA TÉCNICA

Gênero: Ação

Direção: Oliver Stone

Roteiro: David Veloz, Oliver Stone, Quentin Tarantino, Richard Rutowski

Elenco: Balthazar Getty, Brian Barker, Carl Ciarfalio, Carol-Renee Modrall, Corinna Everson, Corinna Laszlo, Dale Dye, Douglas Crosby, Ed White, Edie McClurg, Edward Conna, Emmanuel Xuereb, Evan Handler, Everett Quinton, Gerry Runnels, Glen Chin, Jack Caffrey, Jake Grace, Jamie Harrold, Jared Harris, Jeremiah Bitsui, Jerry Gardner, Jessie Rutkowski, Jim Carrane, Joe Grifasi, John M. Watson Sr., Josh Richman, Juliette Lewis, Katharine McQueen, Keiko Seiko, Kirk Baltz, Lanny Flaherty, Leon Skyhorse Thomas, Lorraine Farris, Louis Lombardi, Maria Pitillo, Marshall Bell, Matthew Faber, Melinda Renna, Natalie Karp, O-Lan Jones, Peter Crombie, Phil Neilson, Pruitt Taylor Vince, Red West, Richard Lineback, Robert Downey Jr., Robert Jordan, Robert Swan, Rodney Dangerfield, Russell Means, Saemi Nakamura, Sally Jackson, Salvator Xuereb, Sean Stone, Steven Wright, Terrylene, Tom Sizemore, Tommy Lee Jones, Woody Harrelson

Produção: Clayton Townsend, Don Murphy, Jane Hamsher

Fotografia: Robert Richardson

Trilha Sonora: Brent Lewis

Duração: 120 min.

Ano: 1994

País: Estados Unidos

Cor: Colorido e P&B

Classificação: 18 anos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s