O Gol De Placa Do Skank

Com mais de 1.800.000 cópias vendidas, o terceiro disco do Skank foi um dos maiores fenômenos do rock e da música nacional.

Dentre os fenômenos que ocorreram no rock nacional, um do qual eu (e milhões de fãs) posso dizer com orgulho que acompanhei de perto, foi o terceiro álbum do Skank: O Samba Poconé. Lançado em 1996 é o primeiro disco da banda (e até o presente momento o único) a ser gravado em SP no estúdio Mosh, e que tinha a difícil missão de suceder o também clássico Calango de 94 que foi um enorme sucesso e para tal a banda convocou mais uma vez Dudu Marote para dividir a produção do álbum.

Logo de cara o disco abre com um verdadeiro hino, e que na opinião deste humilde blogueiro que vos escreve é a melhor canção do grupo: É Uma Partida De Futebol. A canção foi composta por Nando Reis (na época ainda um Titã) e Samuel Rosa, que se conheceram no RockGol de 1995 e movidos pela paixão por futebol, compuseram uma música em homenagem ao esporte. A música tem um riff marcante, vibrante que levanta com extrema facilidade qualquer multidão, mostrando assim como é um ambiente, o clima e a sensação de uma partida de futebol, a letra também é um primor, pois retrata com extrema precisão o sonho (o qual eu já compartilhei um dia) de milhões e milhões de garotos brasileiros em ser um jogador de futebol e a paixão do torcedor por seu time.

A segunda faixa, Eu Disse A Ela é o Skank clássico com um reggae delicioso de se ouvir, com uma letra bem feita com referências à BH: “Ondas amarelas, Na Contorno cheia.”Em Zé Trindade há a primeira participação mais do que especial do talentoso Manu Chao fazendo backing vocals; a letra é uma referência ao ator da Atlântida Filmes que fez história no cinema nacional, a canção fez sucesso (e ainda faz) entre os fãs e é um dos grandes destaques do disco.

Garota Nacional dispensa apresentações, eterno clássico da música brasileira, a música foi um sucesso estrondoso nas FM´s do Oiapoque ao Chuí e ainda garante em muitas festas um dos pontos altos da pista de dança. A música também foi um fenômeno na Espanha aonde chegou a liderar as paradas de sucesso por TRÊS MESES! Um feito e tanto para um grupo de rock brasileiro. O clipe da canção também foi um sucesso na MTV, por ser ousado ao mostrar seios sem censura, chegou a liderar por um bom tempo o saudoso Disk MTV e arrebatou uma boa quantidade de VMB´s. Tão Seu foi a terceira música trabalhada do disco nas rádios e também fez sucesso, o refrão dela é um dos melhores para ser cantado a plenos pulmões: “Me sinto só, Me sinto só, Me sinto tão seu..”

Skank no início da década de 90

Sem Terra conta novamente com a participação de Chao nos backing vocals e sua letra faz uma crítica social as condições de vida precária do grupo do título da música. Os Exilados é mais uma boa balada reggae e que mantêm o ótimo nível sonoro do álbum. Na seqüência vem uma das melhores músicas do disco e do Skank, Um Dia Qualquer composta pelo parceiro de longa data do grupo Chico Amaral, a música traz um clima e uma sonoridade extremamente deliciosa de se ouvir.

Los Pretos é cantada toda em espanhol e é a última participação de Manu Chao no álbum, e faz um retrato do negro. Sul da América mesmo com uma ótima letra é o único ponto fraco do álbum, devido sua sonoridade que fica a um passo aquém do esperado e que parece estar ali mais para preencher um espaço do disco e servir como ponte para última canção do disco.

Poconé, mais uma composição de Chico Amaral, fecha com chave de ouro o disco e eleva de novo o astral do álbum, a música é interpretada numa empolgação a mil por hora pelo grupo e ganhou um clipe que foi o terceiro e último a ser produzido para promover o trabalho.

Skank em recente foto de divulação: Lelo Zaneti baixo, Haroldo Ferreti bateria, Samuel Rosa guitarra e vocal e Henrique Portugal teclados.

Outro ponto alto fica por conta do brilhante projeto gráfico do álbum que fica por conta de Gringo Cardia que fez a capa do disco e de José Robles que fez a ilustrações do encarte e é responsável pelos painéis das fachadas de cinema da cidade de São Paulo

Hoje quinze anos após seu lançamento, O Samba Poconé foi recentemente eleito pelo portal Uai como um dos mais importantes lançamentos fonográficos da música mineira, e o jornal da Folha de São Paulo sugeriu que esse seria um dos três grandes álbuns do rock nacional que merecia um show em que ele fosse tocado todo na integra ao vivo (os outros dois foram Selvagem? Dos Paralamas Do Sucesso de 1985 e o clássico Cabeça Dinossauro Dos Titãs lançado em1986).

Este é um álbum mais do que recomendado, é essencial na vida de qualquer fã do Skank, amante do rock brasileiro e de música de qualidade que nos eleva através de seu som a um estado de espírito mais feliz e agradável.

Anúncios

Um comentário em “O Gol De Placa Do Skank

  1. Foi nessa época aí que conheci o trabalho do Skank, exatamente com a música “É uma partida de futebol”.
    O trabalho do Skank é um exemplo marcante do rock nacional! Digno de reconhecimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s