Clássico Apetitoso

Logo no disco de estreia o Guns N´Roses conseguiu cravar seu nome na história da música mundial.

Os desafios enfrentados por uma banda de rock no começo, não são nada fáceis. Encontrar um baterista, guitarristas, baixista e vocalista ideais, a exaustiva rotina de ensaios, a falta de dinheiro, os primeiros shows que acontecem em locais precários e com equipamentos não muitos favoráveis ao som da banda, as primeiras composições próprias, conseguir um contrato com uma grande gravadora, gravar seu primeiro disco e enfim alcançar o sucesso.

Muitas bandas por ter esses percalços desistem de dar continuidade ao seu trabalho, outras até conseguem superá-los e conseguem alcançar certo sucesso, mas mesmo assim são desfeitas. Porém há aquelas que já nascem pré destinadas a ser mais do que uma banda de rock de sucesso, são verdadeiros monstros sagrados que mostram logo ao que veio e este é o caso de uma das maiores bandas de rock de todos os tempos: Guns N´Roses.

Formada em 1985 em Los Angeles, Califórnia, por Axl Rose no vocal, Slash guitarra solo, Izzy Stradlin guitarra base, Duff McKagan baixo e Steven Adler na bateria, a banda chamava atenção pelo seu som, influenciado pelo blues e heavy metal que conquistou uma verdadeira legião de fãs. Contribuía também o fato de seus shows não serem convencionais como os demais, o que chamou bastante atenção da gravadora Geffen Records, a qual a banda assinou um contrato em 86. Em agosto do mesmo ano entraram em estúdio para gravar seu disco de estréia, que seria um marco na história da música mundial: Appetite For Destruction, produzido por Mike Clink.

Guns N´Roses em sua formação original: Izzy Stradlin, Steven Adler, Axl Rose, Duff McKagan e Slash.

O disco já chama logo atenção pela sua capa, que mostra uma mulher estuprada com a calcinha nos joelhos e seu algoz, um robô estuprador, prestes a ser punido por uma máquina assassina vingadora; esta capa chegou a ser censurada em vários países por ser considerada obscena, sendo substituída por uma alternativa que trazia um crucifixo com caricaturas dos membros da banda como se fossem caveiras, inclusive Axl Rose tem essa imagem tatuada em seu antebraço direito. Em alguns países a capa original chegou a ser comercializada normalmente, como foi o caso do Brasil.

Capa alternativa do disco

A música que abre o disco Welcome To The Jungle, um dos maiores clássicos do rock n´roll e da banda, começa com um riff simples, porém com um poder de fogo de Slash, ela leva-nos para outra dimensão, e na seqüência a voz arrasadora de Axl Rose, que atinge agudos incríveis e já nos faz pirar com seus primeiros versos da canção, cuja letra retrata a epopéia do vocalista quando este fugiu de sua casa e foi para Los Angeles. Inclusive foi graças a este hit que as vendas do disco começaram a alavancar através de seu clipe que foi um mega sucesso na MTV.

Mal estamos nos recuperando do êxtase da primeira faixa e vem mais uma música arrasadora e clássica, a sensacional It´s So Easy, que começa com uma das introduções mais poderosas de um baixo feita por Duff, o refrão até hoje é entoado por multidões nos shows da banda e está em nossas memórias, uma das melhores partes da canção é quando Axl começa  a cantar de forma mais branda após o refrão  e a música vem numa crescente incrível com um solo de Slash. A terceira faixa é mais um clássico do Guns: Nigthtrain, que garante um dos pontos altos do disco e dos shows da banda, aqui vale ressaltar o incrível desempenho Izzy na guitarra. O disco está só no início, mas quem o ouve, já está num estado mais elevado de sua existência há um bom tempo. Não é exagero dizer que a trinca de abertura de Appetite For Destruction é uma das melhores de todos os tempos.

A quarta música Out Ta Get Me não chega a ser uma canção clássica, mas mantêm o nível de excelência. Após ela mais uma trinca poderosíssima do álbum. Primeiro Mr. Browstone, aqui o destaque fica por conta da introdução muito bem feita pela bateria de Steven Adler; a letra seria uma crítica a um empresário da banda e as regras e normas a serem seguidas pelo esquema do show business, como dar entrevistas, hora de acordar, fazer os shows no horário marcado. Logo na seqüência mais um clássico eterno e fantástico Paradise City que começa com uma guitarra suave de Izzy e vem com uma batida contagiante de Adler para Axl começar a entoar o refrão da canção que após um apito usado pelo mesmo começar a cantar toda a letra da canção, aqui temos também um dos melhores solos de Slash. A sexta faixa My Michelle começa meio que quem não quer nada, bem despretensiosa, porém quando ela vai começando a sumir com sua introdução vem uma explosão sonora de guitarras, baixo, bateria e mais uma vez o vocal arrasador de Axl. Calma meu amigo sei que já estamos hiper, ultra, mega, extasiados, maravilhados, empolgados e quase tendo um orgasmo homérico com essa fantástica obra, mas ainda tem mais, muito mais…

Think About You a oitava do disco serve mais como uma ponte para a grandiosa obra-prima que está por vir: Sweet Child O’ Mine. Na opinião de milhões de pessoas (inclusive desse humilde blogueiro que os escreve) esta canção possui o melhor riff de guitarra de todos os tempos, feito que fez e faz de Slash um dos maiores guitar hero da história do rock e não é só isso, seu solo na música também é uma preciosidade musical, um verdadeiro exemplo de canção perfeita que consegue agradar gregos e troianos, amantes do rock ou não.

O final do disco também é arrasador, logo após You´re Crazy e Anything Goes vem à música que fecha com chave de ouro este maravilhoso clássico: Rocket Queen, que conta com a “participação” da então namorada de Steven Adler, que insatisfeita com sua relação resolveu tirar satisfações com o baterista, porém ao chegar no estúdio ele não estava lá mas sim Axl Rose, resolvendo se vingar do namorado ela teve uma relação sexual com o vocalista ali mesmo naquele momento, cujo gemidos foram gravados e inseridos na música.

Appetite For Destruction é o hoje muito mais do que o maior (e por enquanto o melhor) disco da carreira do Guns N´Roses , obra-prima do rock n´roll que vendeu mais de 40 milhões de cópias no mundo (23 milhões só nos EUA), é um verdadeiro marco da história da música mundial, que todo fã da banda e de música deve ter em sua coleção. É também um trabalho que deve ser ouvido e apreciado, hoje, amanhã e enfim para todo o sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s